Los Inkas me guardam

Viajar é umas das coisas que mais gosto de fazer. Seja a trabalho, lazer ou puro acaso adoro conhecer lugares novos ou explorar melhor alguns já conhecidos. Mas nenhuma de minhas aventuras se compara a ida ao Peru.
Essa marca as minhas primeiras férias. A viagem durou cerca de duas semanas, mas na minha mente jamais terminara, a cada dia penso mais e reflito melhor sobre este maravilhoso país.
Pode não ser interessante para quem vai ler, mas preciso registrar aqui, alguns momentos que vivi lá.
Pois bem. Parti às 03h da madrugada do dia 22/03 de São Luís/MA para São Paulo, onde às 22h tomaria o avião para o Peru, com atraso cheguei à Lima cerca de 4h. No aeroporto conheci uma família peruana, radicada em Cusco ( com S, se colocar Z signica cachorro), que me fez companhia. Na chegada, um taxista do Hostelling Internacional me aguardava. A viagem até Miraflores, onde ficaria hospedada parecia longa, mas não sei se as largas avenidas ou a música no rádio do carro me afastaram tanto da realidade, que quando abri os olhos já tinha chegado.
Às 7 da manhã ja estava de pé – minha vontade era sair voando por toda Lima, não queria perder um só instante, deixar de ir a nenhum lugar, uma ansiedade louca. E assim fui, caminhando, caminhando…
Visitei a um amigo de três anos que só conversarva via net. Acho que ele ficou um pouco surpreso, pois diversas vezes já lhe tinha prometido ir ao Peru. Sua agradável companhia, me mostrou uma Lima muito interessante e particular. Em um bosque de S. Isidro vi uma biblioteca toda de vidro, um casal de noivos passando pela Oliva de la Felicidad. Comi pollo e tomei a cerveza local, cusqueña, no badalado Ovalo de Miraflores.
Ainda neste dia, passei a tarde passeando pela Plaza de Armas, Catedral de Lima e Convento de S. Francisco.
Impressões
Muita comida: a entrada é uma sopa, depois o prato principal, geralmente com batatas e para finalizar chá.
Nos primeiros dias achei que não conseguiria me comunicar. O castelhano é falado tão rápido, quase não abrem a boca. Mas depois até meu pensamento já era nessa língua. E como eu adoro castelhano.
As pessoas têm estatura baixa, geralmente, mas os mais jovens já se destacam pela altura.
Os jornais, assim como daqui, dão muito espaço para futilidades. A programação da TV é recheada de novelas, algumas brasileiras.
Acho que o carnaval brasileiro foi transmitido. Quando me apresentava como brasileira a pergunta era sempre por carnaval ou violência no Rio de Janeiro.
Em Lima e outras cidades que visitei há poucos negros.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s