Só lembro do teu riso Maciel

Ai das pessoas inocentes.

Mas elas existem?

Este mundo enlouquece tanta gente.

Queria poder lembrar com detalhes dos motivos e situações de todos os risos. Piada, escárnio, brincadeiras, derrapadas…. foram tantas coisas vividas. Me lembro dos risos e da covinha na bochecha. De como era fácil te enganar. Bastava uma voz assombrosa ou cara séria e olhos arregalados. Criança!

Felicidade não encerra nenhum pensamento. Desperta sempre um impulso, respostas e conjecturas. Da tua, não saberemos.

É este mundo que enlouquece a gente. Não te avisei que os sensíveis são mais vulneráveis. Tu que sabia de causos da Baixada e da capital, me falava sobre o inglês da Jamaica, devia saber disso também.

Não sei quanto à saudade, não acho apropriado já que fazia tempo não nos víamos. Não, esta dor não é saudade.

Agora é uma tristeza e absurdo. Consolam-me as lembranças. Todas doces. Esqueci da teimosia.

Maciel lembra gentileza. Muitas.

Ainda bem que a experiência compartilhada da vida gera uma energia de bons sentimentos e alimenta dentro de nós aquela certeza de que temos um amigo, independente do tempo, distância ou dimensão.

*A um amigo que se foi.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s